top of page
  • Foto do escritorMANX Hyd.

Bombas de circulação para lubrificação de engrenagens - pt1

Atualizado: 13 de out. de 2022

Os projetos de muitos mecanismos de máquinas comuns não mudaram significativamente em décadas - séculos em alguns casos, e isto é especialmente verdadeiro quando a lubrificação está envolvida. Por vezes temos a impressão que os projetistas de máquinas que trabalham para fabricantes de equipamentos originais (OEMs) acham que a lubrifcação de máquinas não pode ou não deve ser melhorada.


Infelizmente existem novas máquinas fabricadas hoje com base nessa falsa premissa. Evidências disso podem ser vistas em muitos sistemas de óleo com cárter úmido, encontrados em bombas, engrenagens e rolamentos.


Usados como exemplos, citamos os reservatórios de mancais e engrenagens que fornecem óleo às superfícies em atrito sem recirculação. Estes são sistemas de lubrificação por cárter úmido (WSL) que fornecem lubrificantes usando um dos seguintes métodos:


• Lubrificação por inundação — As superfícies friccionais são submersas em um banho de óleo.

• Lubrificação defletor ‘Slinger / flinger’ — As peças móveis recolhem e jogam o óleo em calhas e zonas de atrito.

• Lubrificação do anel de óleo / colar — Anéis e colares giratórios elevam o óleo para o topo dos canais e ranhuras onde o óleo é alimentado nos rolamentos por gravidade.

• Lubrificação por Respingo — O movimento da engrenagem que passa por um reservatório de óleo produz respingos ou névoa em todo o conjunto de engrenagens para as superfícies úmidas da máquina.

• Lubrificação com óleo de escalada — Engrenagens que giram através de um reservatório úmido levantam óleo nas zonas de contato da engrenagem. Alguns usam engrenagens de pás para ajudar a levantar e transferir óleo para engrenagens carregadas.


Todos esses métodos fornecem pouco mais do que um suprimento básico de lubrificante. As equipes de confiabilidade de hoje exigem mais do que isso, especialmente para máquinas propensas a falhas e/ou com alta criticidade. Uma melhoria fácil que pode ser instalada por muitos usuários é adaptar uma unidade de circulação de óleo a um sistema de cárter úmido existente.


Os benefícios da circulação nem sempre são totalmente compreendidos pelos usuários e projetistas de máquinas. Esta é uma das razões pelas quais o custo adicional da circulação de óleo é descartado como uma despesa necessária tanto pelos OEMs quanto pelos usuários.


Existem quatro tipos básicos de sistemas de circulação de óleo:

1. Circulação de alimentação de óleo — Este é um sistema de reservatório úmido que bombeia óleo do reservatório através de linhas que direcionam o lubrificante para as superfícies lubrificadas (cames, rolamentos, cilindros, engrenagens, etc.). Por exemplo, os motores a diesel usam circulação de alimentação de óleo.


2. Circulação de nível constante — Este sistema usa um pequeno reservatório externo além do reservatório úmido da máquina. O cárter úmido fornece óleo para as superfícies de atrito da máquina por um dos métodos de cárter úmido mencionados anteriormente.


3. Circulação off-line — Este é um sistema simples de diálise de óleo, usado para fornecer filtragem off-line e controle de temperatura. A máquina é lubrificada por um dos métodos de cárter úmido descritos anteriormente.


4. Sistema Hidráulico — Os sistemas hidráulicos usam óleo pressurizado que permite o movimento e acionamento da máquina. Este é um sistema totalmente inundado, o que significa que as superfícies de atrito ficam em constante contato com o óleo circulante.



A circulação hidráulica e de alimentação de óleo são sistemas complexos do ponto de vista de projeto e fabricação. No entanto, os usuários podem adicionar a circulação de nível constante e off-line à maioria das máquinas WSL retroativamente para obter os inúmeros benefícios da circulação de óleo.


Continua na parte II








56 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page