• MANX Hyd.

Manutenção preditiva online – pt3.

O que pode ser analisado com os sensores Argo Hytos e soluções Manx Hyd?

Para que um equipamento seja especificado à necessidade do cliente, primeiramente precisamos identificar os problemas com que a máquina, equipamento ou dispositivo convivem, e rastrear, investigando até a causa raiz, quais são os tipo de contaminantes que reduzem a confiabilidade de seus ativos.



As soluções da Manx começam com um programa de controle e melhorias, com análise do óleo ou lubrificante, e quando for identificado o problema, passamos para seleção do melhor sistema e componentes, para montar a solução.


Os tipos de contaminantes e os componentes aptos a monitorar os fluidos são:


Água:

- Ponto de saturação em 100% r.H.

- O ponto de saturação degrada aditivos e degradada o óleo

- é possível converter o rH para um valor aproximado de ppm, contanto que o rH esteja abaixo de 90%

- Usando o rH como parâmetro, temos um como programar um alarme confiável para parada de máquina. Standard de op. de 40 a 60% de rH


Contaminação Sólida:

- com o OPCom II temos possibilidade de analisar o código ISO de contaminação, de maneira confiável e on-line

- observando rampas de aumento de contaminação, podemos analisar possíveis problemas e equipamentos, antecipando falhas antes delas ocorrerem.

- o OPCom FerrosS trabalha com a análise de partículas ferromagnéticas, classificando partículas finas e grossas. O OPCom FerrosS não é afetado por turbulências, bolhas de ar ou água, não precisa de local pressurizado e pode medir emulsões.


Ar no sistema:

- O Laser mede desvios no fluxo de óleo e não consegue diferenciar contaminantes sólidos de bolhas de ar. O ar pode ser detectado por erros e dados com aberrações através do OPCom II, por exemplo, se as contagens de 4micros estiverem muito próximas à contagens de 6 micra, isto é um indicativo que bolhas de ar ou vácuo estão presentes no ponto de medição

- Os sensores LubCos H2O Plus II, LubCos Level e LubCos Vis+ podem detectar se o sensor está no ar ou imerso no fluido.


Calor:

- Um aumento na temperatura pode indicar desgaste em componentes ou falha em equipamentos

- O cálculo do tempo restante de vida do óleo (RUL, Remaining Useful Lifetime) é parcialmente baseado na temperatura do fluido

- Um acréscimo de 10°C na temperatura do óleo pode diminuir sua vida útil em 50%

- a temperatura ideal de um sistema tem que ser determinada com relação ao ingresso de água, envelhecimento, viscosidade, vazamentos, entre outros aspectos, caso a caso


Misturas de fluidos e geração de partículas de componentes (quebras)

- Com sensores capazes de detectar a permissividade do fluido, podemos observar misturas de fluidos, por conta de mudanças nas propriedades eletroquímicas diferentes do óleo base

- O sensor pode detectar um fluido com alta aditivação de um com baixos aditivos, através da condutividade.

- O envelhecimento do óleo e a circulação de partículas e ‘pedaços’ de componentes pelo sistema afeta o TAN (Total Acid Number).

- Depois de uma troca de óleo, um comando para o sensor deve ser dado para iniciar o processo de ‘self-learning’. Após algumas trocas de temperatura do sistema, o sensor finaliza a aprendizagem e controla o tempo de vida útil do óleo.


Aplicações dos sensores e sistemas de monitoramento

Estudos de caso, nacionais e internacionais, mostram que a confiança e know how da Argo-Hytos atendem os padrões mais exigentes de segurança e operação.





Equipamento de carregamento e movimentação, com contador de partículas e monitoramento em tempo real da condição de óleo.



Equipamento Mobil, com sensores instalados nos freios e sistema hidráulico. Sistemas de freios hidráulicos trabalham com altas pressões e temperaturas, sendo suscetíveis a falhas por conta de contaminação. Sensor LubCos H2O+. Intervalos de troca de óleo foram aumentadas em 50%, gerando economia para o cliente.


Harvester da Rottne, Ponsse Komatsu, usando contador de partículas OPCom II e LubCos H2O+. Equipamentos tipo Harvester tem alta demanda e necessidade de monitoramento de contaminação, e os sensores Argo-Hytos ajudam a detectar desgastes e falhas com antecedência, evitando down-time de máquina



Centros de usinagem Romi já experimentaram com êxito o uso dos sensores LubCos Level, procurando aumentar a confiabilidade do sistema hidráulico e monitorar a possível degradação do óleo e seu aditivos.



Na linha de produção de fábricas de papel / linhas de celulose, a Voith se beneficiou do LubCos H2O+, buscando controle de umidade, envelhecimento do óleo e alarmes de possíveis falhas com antecedência, trazendo uma redução de custos com paradas indesejadas e trabalhando de uma forma mais enxuta (mais precisão nas paradas de manutenção).


A Voith Turbo e a ZF Wind instalaram o contador de partículas OPCom, sensores LubCos H2O+ e LubCos Vis+ para o controle do óleo de transmissão, tanto em status como em viscosidade. Através do monitoramento remoto, a redução de custos foi grande, pois o acesso aos parques eólicos Offshore demandam um planejamento e logística enxutos.



Nos Aero geradores, a ZF, SEW e Kenersys já utilizam sistemas LubMon Connect, OpCom II e LubCos H2O+ para monitoramento de desgaste, condição do óleo, prevenção de falhas catastróficas, gerando economia com trabalhos mais enxutos e melhoria em confiabilidade. Com a possibilidade de monitoramento remoto, os operadores e equipes de manutenção conseguiram trabalhar de maneira mais eficaz e com respostas mais precisas às necessidades.


Nas linhas Marine e Offshore, empresas como a Mera utilizam sensores e contadores de partículas, para monitorar condição de óleo, ingresso de umidade e monitoramento de sistemas. A Martechnic mantém um controle com contadores de partículas e o sensor OPCom FerroS, para monitorar sistemas hidráulicos e transmissões.






A Manx Hydraulics oferece uma linha de sensores e equipamentos para monitoramento de sistemas hidráulicos e lubrificantes, com respostas em tempo real da condição do fluido, elucidando ao operador e à equipe de manutenção quanto ao status de contaminação sólida ou em solução, ajudando a prever possíveis falhas catastróficas e colapsos de sistemas, diminuindo custos com trocas desnecessárias de óleos e lubrificantes, entre outras vantagens e benefícios. A comunicação destes equipamentos pode ser feita entre sensor e máquina, assim como monitoramento remoto ou conexão sensor-IHM.



28 visualizações

© 2019 por MANX Hydraulics.